5 passos para não afundar sua empresa

Na última década, centenas de títulos foram lançados no mercado de livros, focando gestão de negócios, liderança, caminhos para o sucesso. Muitos autores oportunistas aproveitaram a onda e lançaram títulos agressivos, buscando chamar atenção. Essa onda se espalhou por palestras, nas quais a alta criatividade dos palestrantes criou pérolas e dinâmicas incríveis. Num ritmo incessante, palestrantes conseguem manter expectadores durante 2 horas fixados neles, mesmo que o conteúdo ou a utilidade do tema não seja imprescindível. Haja adrenalina, haja fôlego para absorver tantos modismos. Refletindo sobre essas tendências consumistas, que geram modismos, criamos este artigo, com alguns passos, muitos já conhecidos e divulgados, que poderão ajudar uma empresa a não afundar nos dias atuais.

ESTAR NO RAMO X SER DO RAMO

Para estar não precisa ser, basta surgir uma oportunidade e uma pessoa monta um negócio, com a maior das boas intenções, acreditando que com sua formação educacional e conhecimentos gerais terá sucesso e irá “ganhar muito dinheiro”. Pronto, pega o capital que juntou com sacrifício, ou herdou, faz uma rápida pesquisa, às vezes informal e arrisca tudo. Muitos acertam, por estar no lugar certo e na hora certa, aproveitando momentos da economia favoráveis ao negócio que montou. Outros, quebram, perdem tudo e têm que recomeçar de novo.

  • ESTAR não significa SER DO RAMO. Algumas pessoas parecem nascer predestinadas, com uma vocação que vem do berço, garantindo sua trajetória. Mas outras, que pareciam ir para outras direções, também poderão SER DO RAMO, com a preparação adequada. Se você já está no RAMO e tem grande experiência, as chances de sucesso são mais altas.
  • Por outro lado, se você quer ESTAR NO RAMO, sem tradição, fazendo um investimento de risco, então é bom se calçar, buscar pesquisas mais amplas e consolidadas, fazer cursos de capacitação, consultar e chamar pessoas com formação e potencial para ajudar no negócio. Procure também capital mais barato e busque apoio especializado (são muitas as opções, desde consultorias privadas a órgãos do 3º setor), para ter mais garantia de bons resultados e saber o momento certo do negócio decolar.

EQUIPE X EUQUIPE

Um dos ditados populares mais conhecidos é “uma andorinha só não faz verão”, ou, uma pessoa sozinha não vai chegar a lugar nenhum. Nas histórias das pessoas que conseguem ser felizes ou bem sucedidas, são raros os casos de sucesso ocorridos com “empreendedores isolados”, como ermitões.

  • Formar equipes é estar disposto a abrir mão do poder. É ter disposição para delegar e esperar que os resultados sejam apresentados, sem “fungar no cangote do colaborador”. É ter paciência para suportar os “nãos” às suas opiniões e, embora aborrecido, refletir sobre novos caminhos. É ser ponderado para não direcionar escolhas entre pessoas e formar grupinhos de apoio. Permitir que haja liberdade de expressão em todos os níveis funcionais do seu negócio. Na prática, duas cabeças penam melhor que uma. E uma EQUIPE, multifuncional, com formações e experiências diferentes, sempre terá uma forma melhor de pensar e ver uma situação do que uma EUQUIPE, que só vê o próprio reflexo no espelho.

ÉTICA E HONESTIDADE NOS NEGÓCIOS

Recorrendo também aos ditados populares “mentira tem perna curta” e “você pode enganar um, mas não todos ao mesmo tempo”, consideramos a postura de honestidade nos negócios como um dos melhores caminhos para esses novos tempos de responsabilidade social e sustentabilidade, mesmo que venha a perder vendas de algum cliente.

  • A postura ética nos negócios se tornou obrigatória, já que o consumidor espera qualidade nos produtos e serviços, entregas nos prazos prometidos e manutenção do que foi negociado. Irão sobreviver aqueles que atuarem com ética e honestidade nos negócios, simplesmente porque as pessoas estão saturadas de comportamentos inadequados.

ATUALIZAÇÃO E TECNOLOGIA GERENCIAL

Às vezes, um cochilo no tempo basta para que o profissional, de qualquer ramo, fique desatualizado. Atualização é estar antenado, seja pelos meios gráficos, através de jornais, revistas, semanários, informativos, ou via eletrônica, através da internet, “letters” e sites de busca. A tecnologia gerencial exige que, após ter iniciado seu negócio com anotações manuais em cadernos ou fichas, o profissional evolua para sistemas que gerem relatórios úteis como base para decisões.

MARKETING PRÁTICO E DIRECIONADO

A linguagem dos livros de marketing, a maior parte importada, é rebuscada, com adoção de estrangeirismos. O marketing prático deve considerar o negócio, seus produtos e sua zona de influência, casos os consumidores sejam apenas locais e regionais. Devemos pensar fora da caixa!

AUTOR

Prof. João Mariano de Almeida, administrador de empresas, com pós em RH e mestrando em Gestão de Negócios, atuando desde 1981 em Projetos de Melhorias de Resultados (produtividade/processos/qualidade, reduzir custos/desperdícios, marketing/vendas/gerar novos negócios, RH/motivação), em negócios familiares. Realiza também palestras gratuitas, com fins sociais, para recolher alimentos para entidades sociais. Cel. (11) 9 8514-0675 / skype: almeidamariano1952 / em: joaomarianoalmeida@gmail.com