Coletores informatizados :: Facilidade na coleta de informações a campo

Utilizando um sistema de gestão informatizada, para que o gerenciamento de dados seja realizado de maneira facilitada e confiável, três tarefas são imprescindíveis: coleta, lançamento e análise das informações. Caso uma dessas tarefas não seja realizada ou cumprida de forma ineficiente, todo o processo de geração de indicadores pode ser quebrado.

Importância do elo campo-escritório

Nas empresas rurais, o ponto mais desafiador, sem sombra de dúvidas, é a coleta das informações à campo. Essa tarefa, que é o ponto inicial da geração dos indicadores de desempenho, deve ser realizada de forma bem cuidadosa, visando que as etapas seguintes (lançamento no sistema de gestão e posteriores análises) sejam continuadas sem inconsistências e gerem dados confiáveis para uma tomada de decisão adequada e efetiva.

Nesse sentido, o elo entre o setor ligado diretamente à produção e aquele responsável pelo tratamento dos dados é imprescindível. Em outras palavras, a troca de informações entre o escritório e o campo deve ser muito bem construída.

Desafios do funcionário do escritório

Para o registro no sistema de gestão, o funcionário do escritório necessita que as informações, geradas no dia a dia da propriedade, cheguem até ele. Em muitos casos, o que chega até ele são folhas ou cadernos desorganizados, sujos, com letra ilegível, etc. Ou, até mesmo, essas informações nem chegam até o destino final, sendo perdidas no meio do caminho.

Desafios do funcionário do campo

Fichas de campo são muito utilizadas para a coleta de informações. Em muitos casos, o funcionário de campo recebe fichas complexas, de difícil interpretação, com informações desnecessárias, pouco funcionais ou com um número grande de folhas, dificultando a anotação. Isso pode deixar o manejo mais lento ou mais complicado.

Desafios para os animais e o sistema produtivo

A coleta de informações deve ser facilitada para não prejudicar o andamento das atividades realizadas no campo. O manejo dos animais é bem dinâmico, sendo necessário atenção dos responsáveis tanto por motivos de segurança quanto de bem-estar animal.

Para o bovino, em função da natureza da espécie, é um desafio fazer algo que fuja à sua rotina. Sendo assim, manejos de pesagem, vacinação, etc. já são um desafio por si só para o animal. O estresse gerado por um manejo demorado, em função de um processo de coleta de dados mal executado, pode gerar impactos imensuráveis para a sanidade e produção dos indivíduos, tais como acidentes no centro de manejo em função da agitação. Pensando em termos de pecuária leiteira, um manejo incorreto poderia ocasionar até a “quebra do leite”.

Solução: coletores informatizados

Os coletores são softwares, extremamente leves, instalados nos computadores utilizados nos centros de manejo. Na medida em que os animais vão passando, com poucos cliques, as informações são registradas de maneira extremamente dinâmica!

Os sistemas para coleta de dados não necessitam de conexão à internet de forma contínua. Outro ponto extremamente positivo está relacionado à coleta simultânea. Por exemplo: enquanto um funcionário coleta as informações de uma pesagem, simultaneamente, outro colaborador, com o coletor instalado em um segundo computador, poderá coletar as informações de uma vacinação.

Finalizados os manejos, as informações coletadas são descarregadas no computador principal (geralmente localizado no escritório da fazenda), onde o sistema de gestão está instalado ou disponibilizadas na nuvem, para posterior processamento.  Ou seja, o computador principal não precisa sair da sua base em momento algum, garantindo maior segurança e durabilidade do equipamento. No momento da importação dos dados, são feitas as validações necessárias, visando aplicar filtros de erros, para, por exemplo, tratar falhas de digitação ou registros inconsistentes. Os filtros de erros não são ativados no momento da coleta visando não prejudicar a agilidade do processo no campo.

Quando é o consultor da fazenda que detém a licença de uso de um sistema de gestão, ao invés de deixar diversas fichas de coleta entre as visitas, basta instalar o coletor informatizado na máquina da fazenda e, no dia da visita, de forma muito prática, importar os dados coletados.

Conclusão

Com os coletores de dados automatizados, a coleta das informações é facilitada, fazendo com que o elo entre o campo e o escritório seja harmonioso e a confiabilidade nos dados seja enorme! Consequentemente, a tomada de decisão poderá ser muito mais acertada, baseada em informações consistentes e verdadeiras! Portanto, esqueçamos as folhas soltas e os caderninhos!