Fazenda Poitara: genética e produção de leite em harmonia

"As feias que me perdoem, mas beleza é fundamental." Não falo aqui das musas de Vinícius, mas de uma fazenda. E por que não? Um lugar bonito, onde cada cantinho foi pensado com carinho, funcionalidade e, principalmente, com o objetivo de proporcionar bem-estar aos animais e a todos que passam ou trabalham por lá. Isso, sem falar na simpatia dos proprietários, com quem é possível passar horas muito agradáveis, falando sobre vacas, leite, histórias de vida e paixão pelo trabalho."

Um pouco da história...

Essa história de sucesso na atividade de leiteira viveu seus primeiros capítulos no ano de 1969, quando o Sr. José Gonçalves Rigueira comprou uma fazenda em Teixeiras, sua terra natal, e deu de presente ao seu pai, que nutria um desejo antigo de ser fazendeiro, como conta Marcelo Rigueira. filho de José Gonçalves e neto de Sebastião Angelo Rigueira.

Dez anos mais tarde, quando Marcelo já cursava a Faculdade de Engenharia da UFMG, o Sr. Sebastião faleceu e uma greve de professores acabou sendo a responsável por sua entrada na atividade leiteira.

O sistema de produção...

O conforto das vacas e a organização da fazenda são pontos essenciais para Marcelo. E a primeira impressão, ao se entrar na fazenda, não poderia ser melhor. O cuidado com cada detalhe, inclusive com o paisagismo, passa uma sensação de harmonia e bem-estar, que só se confirma ao prosseguir com a visita.

A fazenda possui 125 hectares de área total. Desses, 97,2 ha são destinados à agricultura, sendo 60 ha para produção de milho e forragem, 30 ha de palmito e 4 ha de instalações.

Manejo do rebanho...

A dieta das vacas em lactação é composta de milho, silagem de milho, ração fabricada na fazenda, soja, trigo, núcleo mineral, feno (não se abrindo mão de: 2kg/dia por vaca em lactação) e polpa cítrica. As vacas são divididas em quatro lotes: primíparas, alta produção, final de lactação e CCS mais alta.

A base da dieta é a mesma, variando apenas as quantidades entre os lotes. A secagem das vacas é feita 60 dias antes da data prevista do parto, com aplicação de antibiótico para vaca seca e selante de tetos. O lote de vacas secas aloja os animais de 60 a 36 dias antes do parto. Já o lote pré -parto, recebe as vacas de 35 dias pré -parto até o parto.

Reprodução e melhoramento...

Toda a reprodução é feita por meio de inseminação artificial ou fertilização in vitro (FIV ), sendo gastas entre 3 e 4 doses de sêmen para cada prenhez confirmada.

Apesar da genética ainda representar 70% do negócio da fazenda, Marcelo diz que "a atividade da Poitara é o leite com genética. Nenhuma fazenda se sustenta somente com genética. O mercado de genética é um plus do negócio".

Qualidade do leite...

O controle da qualidade do leite segue critérios muito rígidos. O rebanho é livre de Staphylococcus aureus, e é feita cultura de todos os animais após o parto, com três repetições.

Gerenciamento do rebanho e controle de custos...

Todos os dados do rebanho são gerenciados por Marcelo, utilizando planilhas de Excel e o Software Ideagri.

Conheça o sistema de gestão mais usado na pecuária leiteira do Brasil! CLIQUE AQUI.

O futuro...

A principal meta de curto prazo da propriedade é ter 100 vacas ordenhadas, em 2017. O projeto é para 200 vacas, mas "vamos fazer tudo de forma equilibrada e financeiramente equacionada", afirma Marcelo.

Leia a reportagem na íntegra, na versão digital da revista, disponível para assinantes.


A versão digital da revista pode ser acessada pelos assinantes no link a seguir:

[ CLIQUE AQUI ]