Fazenda São Luiz, 55 anos de investimento em genética

Conheça a história do empreendedor Paulo Amaral, maior produtor leiteiro do Estado de Alagoas, cliente e parceiro IDEAGRI. O texto, publicado na Revista Pecuária em Alta (edição de abril/maio 2016) apresenta detalhes da Fazenda São Luiz de demais integrantes do grupo (Lagoa da Jurema e Barro Preto).

Filho de Mair Amaral, um dos nomes que ficou registrado na história da pecuária de leite brasileira, Paulo Amaral iniciou suas atividades no ramo há 55 anos. Seu pai deixou em suas mãos a responsabilidade de gerenciar uma de suas fazendas, a São Luiz, localizada no coração da Bacia Leiteira de Alagoas. Em 1962, Paulo encontrou apenas 12 vacas de leite, com a produção de 180 litros de leite por dia, e 500 hectares de terra, onde iniciou a plantação de palma e, anos depois, o trabalho com silagem de milho.

Em dois anos, alcançou a primeira conquista: foi escolhido, pelo então governador de Pernambuco, Paulo Guerra, para fornecer tourinhos para o programa Vaca na Corda, voltado para auxílio ao pequeno produtor.

A aposta genética continuou gerando bons resultados e, em 1970, nasceu na Fazenda São Luiz, o segundo animal fruto de Inseminação Artificial do estado de Alagoas. Hoje, Paulo possui no rebanho, animais “por aproximação de graus de sangue” 1/2GO, 3/4GO e 7/8GO.

Com a ampliação do rebanho e com o crescimento da produção de palma, o produtor, aos poucos, aumentou a extensão territorial da fazenda, que hoje soma 1.400 hectares. O aumento na produção de leite também trouxe a necessidade de otimizar o trabalho. Há 16 anos, a Fazenda São Luiz produz leite por meio de ordenha automatizada.

O empreendedor, na década de 1980, deu início às atividades na Fazenda Lagoa da Jurema, localizada no município de Major Isidoro, onde cria o rebanho ½ sangue, base para forma o gado ¾ e 7/8. Atualmente, também utiliza a terceira fazenda, a Barro Preto, como base para recria do rebanho.

MANEJO DOS ANIMAIS

Na Fazenda São Luiz, encontram-se as vacas 3/4GO e 7/8GO. São 300 vacas em lactação, ordenhadas duas vezes por dia, com produção total de 5.490 Kg de leite, %G 3,47, %P 3,21 e contagem de células brancas (CCS) de 387. Após as ordenhas, recebem o trato composto de silagem de sorgo, cevada e concentrando, composto de farelo de soja, farelo de trigo, milho moído e minerais. Os animais também têm acesso à palma forrageira e a gramíneas fenadas. Os animais em produção estão divididos em sete lotes.

Além dos animais em produção, a fazenda São Luiz possui 80 vacas secas, enviadas para o pré-parto 30 dias antes da previsão do parto, 83 novilhas gestantes, 77 inseminadas, 50 aptas e 110 garrotas.

O grupo de fazendas utiliza o Software IDEAGRI para monitorar os números zootécnicos e financeiros da fazenda. Em relação aos números reprodutivos dos últimos 12 meses, a Fazenda São Luiz apresenta 13 meses de intervalo entre partos (IEP), taxa de serviço de 48,50%, taxa de concepção de 37,72% e taxa de prenhez de 18,30%.

CRIA DE BEZERRAS

Uma das áreas que mais prendem atenção dos visitantes quando vão à Fazenda São Luiz é a cria de bezerras, ou seja, do nascimento aos 210 dias de idade. Basicamente, essa etapa é dividida em três fases. Na primeira fase, em bezerreiro tropical, as bezerras recebem seis litros de leite mais concentrado, até os 40 dias de vida. Posteriormente, recebem quatro litros de leite mais concentrado, dos 40 dias de vida até atingirem os 100 Kg. Já na segunda fase, de 100 Kg a 200 Kg, são 2,00 Kg de concentrado mais volumoso à vontade. Na terceira fase, de 200 Kg a 210 dias de vida, são tratadas com 2,00 Kg de concentrado mais volumoso à vontade, com acesso ao pastejo também.

Hoje, além de figurar como um dos 100 maiores produotres de leite do Brasil no ranking da Milk Point, Paulo Amaral é o maior produtor de Alagoas, com uma produção diária que ultrapassa os 10.000 litros de leite.

Família Amaral e técnicos na Fazenda São Luiz

Fonte: Revista Pecuária em Alta, Edição Mar/Abr de 2016