Fazenda Umari, um oásis no Nordeste

Confira a reportagem sobre a Fazenda Umari, cliente e parceira IDEAGRI, publicada na Revista Pecuária em Alta. Sediada em Upanema (RN), a propriedade é formada por 90 hectares, dos quais 76 são irrigados e destinados à produção de volumoso para os animais. A fazenda elegeu o Ideagri como software para monitorar os números da fazenda “O Ideagri é uma ferramenta fundamental no monitoramento dos índices zootécnicos e, sobretudo, na tomada de decisões da Fazenda Umari”, afirma o agrônomo da fazenda, Halen Vieira.

CONFIRA A EDIÇÃO OUTUBRO/NOVEMBRO DA REVISTA PECUARIA EM ALTA (clique aqui)!

Acesse a revista online

FAZENDA UMARI

“Com fé em Deus, muito trabalho e persistência o sertão é viável”. Essa é a opinião de Fernando Sobrinho, um visionário e importante empreendedor. Nascido na cidade de Campo Grande (RN), ele é membro de uma família de 12 irmãos. Ainda muito jovem, migrou para a cidade de São Paulo, onde, em 1985, inaugurou a sua primeira loja de confecções, empreendimento em que atua até os dias de hoje.

Na capital, ele nunca esqueceu a atividade primária da família: a pecuária. Fernando herdou do pai o gosto pela produção de leite. A paixão fez com que, em 2002, investisse na produção de leite na Guardado, em Upanema (RN), a 200 quilômetros da capital Natal. O rebanho era formado por animais de baixa qualidade genética e apresentava média de cinco litros de leite por vaca / dia.

Não satisfeito com os índices zootécnicos da fazenda, em 2005, o pecuarista resolveu profissionalizar a atividade e comprou a Fazenda Umari, também em Upanema. A disponibilidade de água proveniente da irrigação garantiu a produção de volumoso para os animais durante o ano. Além deste fator, Fernando percebeu que a introdução de animais geneticamente superiores seria fundamental para a formação do rebanho e para a saúde financeira do seu negócio. Ele adquiriu animais de alguns dos melhores rebanhos de Gir Leiteiro, Girolando e Holandês do país, provenientes dos criatórios Calciolândia, Mutum, Brasília, Palma, Santa Luzia, Dubasa, Alambari, Rancho Alegre, Figueira, Santa fé, Armando Menge, dentre outros.

“Percebi também que estar cercado de bons profissionais era questão prioritária para o sucesso do negócio”, salienta Fernando.

Atualmente, o corpo técnico da fazenda é formado por supervisora operacional, agrônomo, (responsável pela gestão e produção de volumoso), zootecnista (responsável pela nutrição), e veterinário (responsável pela sanidade e reprodução).

ESTRUTURA E MANEJO

A Fazenda Umari é formada por 90 hectares, dos quais 76 são irrigados e destinados à produção de volumoso para os animais. São 46 hectares destinados ao pastejo rotacionado de Mombaça, Tanzânia e Tiftón 85, com lotação média de 14 unidades animal por hectare. Outros 30 hectares são destinados ao plantio de milho, usado para a produção de silagem, com produtividade superior a 50 toneladas por hectare. Atualmente o rebanho da fazenda é composto por 407 fêmeas, das quais 174 vacas estão em lactação, com média de produção de 21,5 kg de leite por dia. São 47 secas, 69 novilhas e 117 fêmeas em crescimento.

Os animais estão cercados de cuidados especiais desde o dia do nascimento. Após a “cura” do umbigo, recebem quatro litros de colostro. A colostragem segue durante as primeiras 48 horas. Após esse período, recebem seis litros de leite por dia, mais um concentrado específico durante os primeiros 60 dias. Dos 60 dias até os 100 kg de peso vivo, cada bezerra recebe quatro litros de leite por dia mais o concentrado, à vontade. Após atingir os 100 Kg, as bezerras recebem dois litros de leite, uma vez por dia, mais o concentrado a vontade, efetuando, então, a desmama completa.

As bezerras seguem para piquetes, onde são agrupadas por peso e idade até o momento em que atingem peso para cobertura. Confirmada a gestação, os animais continuam agrupados, respeitando a idade gestacional. Faltando 30 dias para o parto, seguem para o pré-parto, recebem concentrado específico para a categoria, silagem e têm acesso ao pasto. As vacas em lactação estão distribuídas em lotes, dois de primíparas e cinco de multíparas, sempre respeitando idade e produção.

A fazenda elegeu o Ideagri como software para monitorar os números da fazenda “O Ideagri é uma ferramenta fundamental no monitoramento dos índices zootécnicos e, sobretudo, na tomada de decisões da Fazenda Umari”, afirma o agrônomo da fazenda, Halen Vieira.

A parceria com a Alta teve início em 2013, objetivando obter animais cada vez amis lucrativos para o sistema da produção da Fazenda Umari. “O plano genético está ajustado em: produção 20%, saúde 40%, e conformação 40%”, explica o técnico de leite da Alta, Mário Magalhães.

A definição dos cruzamentos teve fundamental importância no sucesso. Hoje, em parte do animais Gir Leiteiro, são utilizados sêmen de touros Holandeses, Nas vacas ½ e ¾ GO são trabalhados touros Holandeses; já nas fêmas 7/8 GO touros Girolando 5/8 GO; resultando, desse acasalamento, animais ¾ GO.

“Desde então, temos lançado mão dos melhores touros da bateria da Alta, com foco no Plano Genético da fazenda. Entre os touros utilizados podemos citar: GO-Impacto, GO-Quincas e GO-Arpoador, GO-Imperador, HO-Meteor, HO-CEO, HO-Echelon, HO-Airnet, HO-Haley, HO-Jake e Ho-Murdock”, finaliza Mário.