Gestão e Inovação - gestão eficiente é o caminho seguro para o sucesso na atividade rural
Programa Técnica Rural - Canal Rural: leia o conteúdo completo ou assista o programa que discute como o gerenciamento ajuda a melhorar o desempenho técnico. No “Técnica Rural” de hoje, a gente vai mostrar que gestão eficiente é o caminho seguro para o sucesso na atividade rural.

CR

A Equipe ReHAgro utiliza o IDEAGRI como ferramenta de gestão nas empresas assistidas.

Técnica Rural: Na teoria, promover mudanças na administração de uma fazenda é muito fácil. Porém, muitas vezes, o produtor encontra dificuldade para realizá-las. Se olharmos o passado, dá para perceber que houve mudança na forma de gerenciar a propriedade, consequência das alterações no ambiente rural. É claro que já tem muito produtor com boa administração, mais ainda existem aqueles que precisam de muito esforço para acompanhar a realidade.
Técnica Rural: Visitamos algumas propriedades na região de Belo Horizonte, Minas Gerais, que resolveram adotar novos modelos de gestão e apostar na consultoria para melhorar os números.
Fábio Corrêa (ReHAgro): Como exemplo prático dessa consultoria, temos aqui uma fazenda de produção de leite, no município de Bom Despacho. Quando nós iniciamos o processo de consultoria, essa fazenda produzia, em uma área de 100 hectares, 700 litros de leite por dia. O projeto mostrou o potencial dessa fazenda para produzir 8.200 litros de leite por dia na mesma área. Em uma primeira etapa, está sendo construído um planejamento agrícola e pecuário para se atingir uma produção de 5.000 litros de leite por dia.
IT20701.gif
Euler Rabelo (ReHAgro): Um dos grandes problemas relacionados à gestão do agronegócio nacional está relacionado ao “Achismo” de muitos empresários rurais em relação à atividade. Então, é um problema no qual existe muito pouca quantificação em relação à eficiência do sistema. Ou seja, eu “acho que está bom”, “eu acho que está ruim minha produtividade”, “eu acho que a minha eficiência é baixa”, “eu acho que a minha eficiência é alta”. E há muito pouco número relacionado a isso. Nosso setor, passando por uma tecnificação, deve passar deste conceito de “achismo”, que é extremamente subjetivo e pouco eficiente, para uma situação de "realmente olhar" para os números e indicadores de eficiência do setor produtivo envolvido. Ou seja, olhar para os números e indicadores da atividade que mostram se a atividade está tendo uma boa eficiência ou se a atividade está tendo uma baixa eficiência.
IT20702.gif
Técnica Rural: A fazenda é uma empresa e deve ser administrada como tal. Lembre-se que o que não se conseguir medir não dá para administrar. Por isso, a administração eficiente passa por um processo de quantificação e monitoramento dos índices produtivos.
Euler Rabelo (ReHAgro): Eu considero como conceito de gestão eficiente de uma empresa rural, justamente o levantamento de indicadores. Não são necessários muitos indicadores em nenhuma atividade e ele são cruciais e impactam diretamente na produtividade e provavelmente na rentabilidade do sistema. Então, gerenciar com eficiência está relacionado a levantar estes índices, monitorá-los e saber atuar com eficiência nos números, visando a aplicação do gerenciamento de pessoas e melhoria da eficiência destes números.
Técnica Rural: Um exemplo de índice a ser monitorado em uma propriedade leiteira é a eficiência reprodutiva do rebanho. A eficiência reprodutiva é de extrema importância e está relacionada com o aumento do nascimento de crias, maior evolução do ponto de vista produtivo e, consequentemente, maior produção de leite por vaca.
Euler Rabelo (ReHAgro): Olhando alguns índices, um dos mais importantes de serem monitorados em uma fazenda de leite é a taxa de prenhez (que é o número de animais ficando prenhes em um determinado tempo em relação a animais aptos a estarem prenhes em um determinado período). Ou seja, dentro da taxa de prenhez, 2 sub-índices compõem o número. A taxa de concepção (o número de prenhezes que foram concebidas em relação ao número de inseminações em um determinado período) e a taxa de inseminação (número de inseminações que foram feitas em um determinado período em relação ao número de animais aptos a serem inseminados ou cobertos em um determinado período). A partir do momento em que determinamos metas em relação ao monitoramento da eficiência reprodutiva e que passamos a controlar os 3 índices que determinam a eficiência reprodutiva do rebanho (a taxa de detecção de cio, taxa de inseminação e a taxa de concepção que, juntos determinam a taxa de prenhez), nós temos uma maneira de certificar de que nosso rebanho esta realmente com índices adequados ou não em relação à eficiência reprodutiva.
Técnica Rural: A primeira etapa do trabalho de consultoria é o diagnóstico. Nesta fase, procura-se enxergar as viabilidades técnica, econômico-financeira e empresarial da atividade.
Adriano Botelho (ReHAgro): A gente observa se já existe algum controle dentro da propriedade. Controle de saída de estoque, controle de funcionamento das máquinas, de serviços dos funcionários, enfim, se existe algum destes tipos de controle. Feito isso, a gente deve dividir a propriedade em centros de custos. O que são centros de custo? São as unidades da fazenda. Por exemplo: o gado de leite, a recria, a pastagem, o trator e o administrativo são todos possíveis centros de custos de uma fazenda. Os gastos da fazenda são divididos em contas gerenciais, que são as classificações destes gastos. Se aquele gasto é um medicamento, se é um insumo, uma vacina, o que é aquele gasto? Temos que classificar este gasto através das contas gerenciais.
IT20703.gif
Técnica Rural: Depois de estabelecidos os itens de despesa e custo, a próxima etapa é traçar as metas de cada conta gerencial.
Adriano Botelho (ReHAgro): No caso das despesas, trabalhamos com o valor absoluto de cada item comparando o realizado com o que havíamos projetado. Através desta comparação, pegamos os itens que sofreram desvio negativo em cima da meta e realizamos o “Paretto”. O que significa este “Paretto”? São 80% daqueles gastos que sofreram desvio negativo. No “Paretto” a gente vai analisar estas contas e buscar as possíveis causas que levaram a àquele desvio na meta. É de extrema importância que estas causas sejam aprofundadas o máximo possível para que o nosso plano de ação seja efetivo.
Técnica Rural: É importante o produtor pensar na atividade a médio ou longo prazo, ou seja, precisa planejar para onde ir, quais são as metas e qual o caminho a seguir.
Euler Rabelo (ReHAgro): O que eu vou precisar pra chegar aonde eu quero? Lance mão de um planejamento e de planilhas de investimento para realmente simular qual vai ser a demanda de investimento necessário e qual vai ser a perspectiva de retorno da sua atividade. Então, isto envolve uma visualização futura do seu negócio e um objetivo bem claro de onde você quer chegar. Este é um primeiro passo. Envolve também um bom planejamento de sua atividade. Acho que o segundo passo é “Capacite-se”, ou seja, busque a qualificação técnica, para você e para sua equipe. Na minha opinião, uma empresa funciona bem porque seus funcionários são bem treinados, estão com boa qualidade de vida e bem capacitados. Então, é extremamente importante a qualificação das pessoas envolvidas, ou seja: é importante que a assessoria técnica, o próprio gestor e os funcionários envolvidos com a atividade sejam bem treinados, bem capacitados e bem motivados, enfim, que eles vistam a camisa da empresa.
Técnica Rural: Se o produtor não tem controle, principalmente sobre os gastos, com certeza não sabe o quanto ganha ou sequer, se ganha. Uma alternativa que tem dado certo é a assessoria de profissionais especializados, por isso, fomos até Minas Gerais, conhecer o trabalho que um grupo de técnicos está desenvolvendo em uma fazenda de leite.
Fábio Corrêa (ReHAgro): Nós acreditamos que a gestão é pautada em 3 pilares: conhecimento técnico, liderança e ferramentas gerenciais. Desta forma, nós precisamos ter conhecimento técnico da atividade específica, seja ela: café, pecuária de corte, ovinocultura, pecuária de leite ou agricultura de grãos. O que nós precisamos é fazer esta aliança perfeita. A empresa tem que ter uma liderança forte, um bom conhecimento técnico por parte da equipe de assistência para que juntos possam realizar uma empresa de sucesso.
Técnica Rural: A mão de obra é um dos principais pontos a ser trabalhado na propriedade. O treinamento e capacitação dos funcionários é a base para melhorar os índices. Pouco adianta ter boas ferramentas gerenciais e elevado conhecimento técnico se a propriedade não tiver uma equipe muito bem formada.
Euler Rabelo (ReHAgro): O treinamento é uma coisa extremamente contínua, ou seja, ele não cessa pois, todos os dias, a atividade exige uma melhor eficiência no dia a dia (já que as margens do produto estão cada vez menores). Ou seja, nós temos que ser constantemente mais eficientes para sobrevivermos no mercado. O processo de treinamento, de capacitação e de atualização deve ser um processo contínuo, seja qual for a atividade envolvida no agronegócio.
Fábio Corrêa (ReHAgro): Dessa forma, nós precisamos ter habilidade e desenvolver os 3 pilares de forma simultânea e equilibrada. A parte técnica precisa ser colocada em doses que sejam possíveis de ser assimiladas pela equipe e, junto a isto, trazer boas ferramentas gerenciais que permitam medir o resultado do trabalho.
Técnica Rural: Para alcançar uma produção com alto padrão, é preciso fazer um diagnóstico da qualidade do leite. É importante saber quais os problemas e o que fazer para resolvê-los.
Patrícia Maia (ReHAgro): Para isso, devemos levantar os dados de mastite e de qualidade do leite existentes na propriedade. Também, devemos avaliar como estão sendo feitos os procedimentos na propriedade como, por exemplo: rotinas de ordenha, limpeza de equipamentos, manutenção de equipamentos. Como estes procedimentos estão sendo realizados? Eles estão sendo realizados corretamente? Depois de feito este levantamento inicial do diagnóstico da situação, nós devemos direcionar as nossas ações para a melhoria da qualidade do leite.
IT20704.gif
Técnica Rural: Mensalmente, é feito o monitoramento da qualidade do leite por meio de índices. Assim, é possível ter uma noção de como está cada setor de produção.
Danilo Augusto (ReHAgro): Uma das metodologias de gerenciamento de empresas rurais é o índice de gestão à vista. Através de uma reunião com os funcionários, são traçadas metas. Estas metas são monitoradas mensalmente e, a partir delas, a gente consegue enxergar onde está o problema dentro da fazenda. É importante afixar estes índices mensalmente dentro de um quadro para que todos os funcionários tenham acesso a estes índices. É importante também saber interpretar estes índices, para que o próprio funcionário responsável pelo setor saiba se ele está atingindo a meta ou o porquê a meta não foi atingida.
IT20705.gif
Técnica Rural: Antes do trabalho da consultoria, esta fazenda produzia 2.500 litros de leite por ha/ano. Ou seja, 700 litros de leite por dia em uma área de 100 ha.
Fábio Corrêa (ReHAgro): O projeto final mostrou um potencial de 30.000 litros de leite/ha/ano, ou seja, 8.000 litros de leite por dia. E tendo uma etapa intermediária de 5.000 litros de leite por dia, totalizando 18.000 litros de leite/ha/ano. A primeira avaliação que é feita durante o diagnóstico, no caso de uma fazenda de produção de leite, é o potencial de produção de alimentos desta mesma fazenda. No caso em que nós estamos aqui hoje, esta fazenda tinha produção de leite pautada em pastejo de brachiaria no verão e produção de silagem para o inverno. No projeto enxergamos que a melhor opção de ocupação seria trabalhar com gramíneas de maior produtividade que o capim, no caso o Tifton 85 e o Mombaça para pastejo no verão e a cana-de-açúcar para suplementação de inverno. Após ser definido que a fazenda tinha potencial de usar gramíneas de alta produtividade para pastejo e aptidão para o plantio de cada, nós partimos para a etapa de amostragem do solo e construção da fertilidade do mesmo.
Técnica Rural: Foi preciso reorganizar as áreas de pastagem para ajustar a alimentação do rebanho. Veja este pasto: é Brachiaria decumbens, altamente infestada com plantas daninhas. Dá para perceber que a capacidade de suporte é muito baixa, por isso, para ampliar a produção, a atitude mais urgente foi a reforma das áreas de pastagem.
IT20706.gif
Fábio Corrêa (ReHAgro): Pensando em uma região como a de Bom Despacho, de terras valorizadas, torna-se inviável ter uma pastagem de Brachiaria decumbens degradada com lotação abaixo de 1 UA (unidade animal), pois esta mesma área tem potencial, com gramíneas de alta resposta à fertilidade do solo como o Tifton, de ter acima de 10 UA por hectare. Ou seja, esta fazenda estava abaixo de 10% de seu potencial produtivo.
IT20707.gif
Técnica Rural: Para que os animais conseguissem expressar o potencial genético, foi preciso fazer investimentos. Assim, a fazenda comprou uma nova sala de ordenha e um vagão de dieta total.
Danilo Augusto (ReHAgro): Garantindo uma alimentação de alta qualidade e padronizando a dieta destes animais, foi possível com o mesmo número de animais um aumento de cerca de 800 a 1.000 litros na produção de leite por dia na fazenda.
Fábio Corrêa (ReHAgro): Uma fazenda sempre tem um fator a ser modificado que gerará maior impacto. Então, o que é a busca? É enxergar os números e ver, qual alteração que vai gerar maior impacto nos números financeiros da fazenda.
Técnica Rural: Baseado nisto, um exemplo é o setor de casinhas, que passou por grandes mudanças. Aqui são alojados os animais recém nascidos, até os 90 dias de idade.
Danilo Augusto (ReHAgro): Estes animais, antes da consultoria técnica, chegavam a 90 dias de idade com um peso vivo de 75 kg. Após recomendações de melhoria nas instalações, melhorias na forma de aleitamento e de alimentar estes animais, estes animais passaram a atingir, aos 90 dias de idade, 100 kg de peso vivo.
Técnica Rural: O resultado do aumento do ganho de peso das bezerras é a antecipação da idade reprodutiva, ou seja, as novilhas são inseminadas mais cedo e consequentemente, chegam mais cedo ao primeiro parto. Neste caso, o custo da recria pode ser diluído pelo ganho de peso dos animais.
Fábio Corrêa (ReHAgro): Então, um dos grandes desafios do trabalho é construir metas que sejam factíveis e que venham a gerar crescimento na propriedade rural.
Joel Inocêncio (Gerente da Fazenda): Com a vontade do proprietário, uma equipe bem formada e com um bom gerenciamento, a gente consegue atingir as metas e chegar aos números ideais para que o projeto seja bem sucedido.
IT20708.gif
Euler Rabelo (ReHAgro): Então, é extremamente importante, que o gestor, que o empresário, lance mão de uma boa consultoria, uma boa assessoria técnica no meio agroveterínário em geral. Ou seja, um técnico bem capacitado pode trazer inúmeros benefícios em termos de crescimento e de monitoramento de uma empresa rural.