Grandes questões ligadas à gestão de finanças em uma propriedade rural

O acompanhamento administrativo da empresa assume importância primordial quando consideramos o cenário atual de mercados flutuantes. As ferramentas de gestão financeira e econômica são fundamentos que devem estar presentes em qualquer sistema produtivo, seja ele pequeno, médio ou grande.

Este artigo tem como objetivo discutir questões ligadas à metodologia, apuração e meios para contabilização e uso dos controles financeiros e econômicos nas empresas rurais.

Para que serve um controle de finanças dentro de uma empresa?

O mercado mundial, principalmente o do agronegócio, tem passado por grandes mudanças. Essas mudanças estão diretamente ligadas aos avanços tecnológicos e, principalmente, à melhoria de qualidade do produto final. Outros fatores, tais como custos dos insumos usados na produção e meios como estes insumos são transportados, interferem no valor final do produto. No entanto, o produtor rural, o gestor e o técnico não conseguem repassar seus custos aos produtos agropecuários.

Considerando que a grande maioria dos produtos agropecuários são commodities, ou seja, produtos com preços estabelecidos pelo mercado, é interessante que o gestor use ferramentas que possibilitem previsões de caixa, tracem melhores estratégias de compra, mostrem análises de custos e outros fatores, para tornar a atividade competitiva ao mercado. Quando os controles financeiros e zootécnicos são bem feitos, a empresa se torna competitiva.

DICA

Como iniciar um controle de finanças?

Antes de começar um trabalho de controle de finanças em uma empresa, as prioridades devem ser avaliadas. Estas questões resumem-se em saber quais as expectativas e necessidades. O início do trabalho de controle de finanças, na maioria dos casos, faz com que a empresa passe por grandes mudanças. O empresário e os responsáveis pelos controles dentro da fazenda precisam estar cientes destas mudanças para que sejam os pontos de apoio dentro do processo. É uma tarefa difícil e ao mesmo tempo essencial ao trabalho que será realizado na empresa.

Após apurar a necessidade da empresa, é hora de buscar o foco inicial do trabalho, traçando um cronograma que definirá qual método será utilizado. Este cronograma nada mais é que o espelho da necessidade da empresa. Neste início, busca-se saber se a empresa está preocupada em descobrir qual o custo em R$/unidade produzida (controle de custo); se o interesse é dar foco ao caixa da empresa, programando recebimentos e pagamentos (fluxo de caixa); ou ainda, focar no ponto que mostra o comportamento da empresa dentro de um período estabelecido (orçamento anual), permitindo que se tracem estratégias de venda, de animais e leite, por exemplo, bem como de compra de insumos.

Quais são as principais dificuldades em desenvolver um trabalho de finanças?

É preciso definir os responsáveis pelos controles dentro da empresa. As pessoas somente executam com eficiência suas tarefas quando as conhecem em detalhes e sabem a importância do que estão fazendo. Os dados coletados por essas pessoas serão transformados em informações que, por sua vez, fazem parte das análises financeiras e econômicas. Fica clara, assim, a exigência de que estes dados sejam confiáveis e seguros.

Não se deve tentar fazer tudo de uma só vez. Estabeleça um cronograma. Lembre-se de que quanto maior o numero de informações necessárias, maior deve ser a dedicação das pessoas envolvidas.

Considerações importantes no início do trabalho:

•Qual é a estrutura física da propriedade?

•Qual o perfil da mão-de-obra envolvida?

•Já existe controle de estoque?

•Qual o grau de informatização?

•Quais as ferramentas (softwares, equipamentos) disponíveis? Quais serão necessárias?

Essas e outras perguntas devem ser feitas visando estabelecer a necessidade e definição de recursos.

Quais são os principais itens trabalhados nas finanças de uma empresa rural?

Dentre os métodos de gestão administrativa, com foco em controles financeiros, destacam-se:

•Controle de custos;

•Fluxo de caixa;

•Plano orçamentário.

ESQUEMA

Fluxo de caixa

Mostra uma visão financeira. Tem a finalidade de contabilizar as receitas e despesas, funcionando, assim, como uma grande agenda financeira. Identifica data, valor, fornecedor, clientes e saldo em conta.

Uma vantagem adicional é que, quando as receitas e despesas são classificadas, há uma visão gerencial das informações.

Seu uso direciona a dinâmica de recebimentos e pagamentos. O sucesso na contabilização e uso do fluxo de caixa é fundamentado na agilidade em contabilizar as informações, realizar a conciliação bancária e no nível de dedicação dos gestores.

Veja um exemplo gráfico de acompanhamento de fluxo de caixa:

FLUXO

Fonte: IDEAGRI

Plano orçamentário

Mostra uma visão de futuro. Seu objetivo é ser uma referência na projeção das receitas e despesas previstas, fundamentadas em parâmetros técnicos e análises de mercado.

O orçamento aplica-se como a projeção de grandes metas. As avaliações das receitas e despesas previstas versus realizadas predizem com agilidade as ações a serem efetuadas.

O plano orçamentário deve ser o “patrão” da propriedade. O orçamento é que irá direcionar as estratégias de compra, venda, investimentos, distribuição de resultado e, até mesmo, captação de recursos. A chave para o sucesso do orçamento está no amplo conhecimento das tendências de mercado e interação entre técnicos e gestores.

Veja um exemplo gráfico de acompanhamento de planejamento orçamentário:

PLANO

Fonte: IDEAGRI

Custo de produção

Mostra uma visão de consumo. Os dados são gerados quando se aplica/utiliza insumos e serviços.

Possibilita individualizar resultados das diversas atividades produtivas, contabiliza e informa quais são os gastos diretos e indiretos, custos fixos e variáveis, depreciações, custo econômico e ponto de equilíbrio produtivo.

O seu principal objetivo é consolidar uma análise econômica da atividade. Seu uso fundamenta ferramentas de gestão, identificando pontos de eficiência e ineficiência e direciona possíveis ações corretivas dentro do sistema produtivo. Mediante depreciações, provisiona recursos para se reinvestir na atividade. Aspectos como coleta correta de dados e padrão de metodologia são os pontos limitantes e cabíveis de falha.

Para a realização do controle de custos da empresa, a junção de três ações é fundamental:

1.Gestão de estoque;

2.Gestão dos índices zootécnicos;

3.Boa estratégia de compras.

Veja um exemplo gráfico de apuração de custos:

CUSTO

Fonte: IDEAGRI

Conclusão

O principal intuito das ações é a geração de resultados eficazes e mensuráveis. Os controles permitirão que o produtor rural tenha uma nova visão administrativa de seus negócios, passando a atuar como empresário rural e a tratar sua propriedade como empresa.


O artigo foi adaptado por Heloise Duarte, equipe IDEAGRI, a partir de material publicado por Felipe Cury, originalmente no site www.rehagro.com.br.