Impactos da informática na Agropecuária
O aparecimento da informática revolucionou todas as áreas do saber. Este artigo apresenta sua introdução na agropecuária dentro de um contexto mais amplo, o da modernização rural.

atjul2009001.jpg
O aparecimento da informática revolucionou todas as áreas do saber. Este artigo apresenta sua introdução na agropecuária dentro de um contexto mais amplo: o da modernização rural.
Palavras-chave: Informática na agropecuária, informática e sociedade.
INTRODUÇÃO
A humanidade presenciou significativas mudanças sociais ao longo do século pass ado. Rifkin (1995) destacou algumas delas:
- O progresso tecnológico cujas transformações mais significativas giram em torno dos seguintes eixos:
  • a informática (que está revolucionando todas as áreas);
  • as bio-tecnologias (que estão transformando a agropecuária, indústria farmacêutica etc.);
  • as novas formas de energia (em particular o laser, que permite inúmeras aplicações);
  • as telecomunicações (que tornam possível e cada vez mais barato transmitir grandes volumes de informações a custos cada vez mais baixos);
  • os novos materiais (que incluem novas cerâmicas, supercondutores etc. e que permitem novos avanços nas áreas anteriores);
- A mundialização de padrões comportamentais, em grande parte motivada pelos avanços tecnológicos (particularmente as telecomunicações);
- A urbanização que alterou a disposição demográfica de nossas sociedades - que deixaram de ser rurais para se tornarem urbanas;
- As polarizações entre ricos e pobres que atingiram níveis alarmantes de disparidade em todo o planeta.
MODERNIZAÇÃO NA AGROPECUÁRIA
Segundo Saraiva & Cugnasca (2000), sistemas computacionais estão sendo desenvolvidos para ajudar agropecuaristas a monitorar o meio-ambiente, identificar áreas problemáticas, delinear estratégias de intervenção e implementar planos de ação. Em futuro próximo, outros sistemas mais especializados coletarão dados, através de sensores computadorizados posicionados nas propriedades e no rebanho, sobre as mudanças meteorológicas, condições do solo, temperatura dos animais e outras variáveis.
Estas informações alimentarão estes sistemas que apresentarão planos e recomendações específicas ao produtor rural.
Sem contar as imensas possibilidades da robótica na agropecuária, os recentes avanços tecnológicos na agricultura mundial prometem maior produtividade e redução nas necessidades de mão-de-obra, mais impressionante do que qualquer revolução tecnológica equivalente na história do mundo.
IMPACTOS DA INFORMÁTICA NA AGROPECUÁRIA
Bornstein, Villela & Portugal (1991) apresentaram a padronização e a modernização na agropecuária como partes de um mesmo processo que estimulou a informatização nas empresas e propriedades rurais. Mostraram também que o uso de tecnologias leva à uma crescente utilização de novas tecnologias.
Souki & Zambalde (1999) verificaram que a informática aplicada à agropecuária teve resultados abaixo do esperado devido à sua má utilização por empresários rurais. Propuseram como razões para esta situação: a busca do milagroso, propagandas enganosas, utilização desordenada, informações mal interpretadas e a falta de programas adequados. Apesar das limitações e mal resultados, os autores afirmaram a necessidade da informática para aumentar a produtividade e qualidade, na busca por uma maior competitividade.
Saraiva & Cugnasca (2000) apresentaram um quadro histórico da modernização na agropecuária onde a eletrificação rural e os primeiros instrumentos nas máquinas agrícolas deram lugar, nos dias de hoje, à microeletrônica embarcada. Listaram, porém, requisitos para utilização de tecnologias de ponta no campo, compatíveis com a Agricultura de Precisão: robustez mecânica, sensores específicos, versatilidade e robustez computacional, assistência técnica, custos compatíveis com a produção e atenção à especificidades regionais.
Silva (2000) apresentou um quadro de mudanças na agricultura mundial onde a internacionalização da economia obrigou o aumento de competitividade do produtor rural que não só precisa produzir mas também agregar valor ao seu produto. Ao mesmo tempo, a crescente velocidade das informações impôs a necessidade da aprendizagem contínua - e o conseqüente domínio da informática - ao homem do campo.
CONCLUSÕES
Os impactos decorrentes da introdução da informática na agropecuária não devem ser analisados isoladamente. É preciso, em primeiro lugar, compreender o processo que a engloba: a modernização agropecuária. E mesmo esta deve ser examinada à luz das transformações citadas no princípio deste trabalho.
Do ponto de vista econômico, a modernização na agropecuária é intrinsecamente ligada à padronização na produção - como exemplo, temos as muitas normas relativas às exportações in natura e de produtos agroindustriais. Por um lado é melhorada a qualidade da produção. De outro somente alguns produtores conseguem se adequar à estas normas.
Portanto, longe de concluir que a informatização na agropecuária possa ter apenas efeitos positivos ou negativos, é necessária uma tomada de consciência para compreender melhor seus impactos antes de qualquer decisão.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
BORNSTEIN, C.; VILLELA, P. & PORTUGAL, A., 1991, "O uso da informática em cooperativas de laticínio: algumas reflexões sobre a modernização na agricultura", Reforma Agrária, v.3, n.4, pp.53-73.
RIFKIN, J., 1995, O fim dos empregos. Makron Books do Brasil, São Paulo.
SARAIVA, A. & CUGNASCA, C., 2000, "Equipamentos para automação agrícola". InfoAgro 2000, Ponta Grossa, 18 a 20 de outubro.
SILVA, A., 2000, "Universidade do Campo: a informação do agronegócio na palma da sua mão". InfoAgro 2000, Ponta Grossa, 18 a 20 de outubro.
SOUKI, G. & ZAMBALDE, A.,1999, "Vantagens e limitações da informática na agropecuária". Agrosoft 99, Campinas, 19 a 20 de novembro.
WASSILY, L. & FAYE, D., 1986, The future impact of automation on workers. Oxford University Press, Nova Iorque.
ZAMBALDE, A., 2000, A Informática na modernização do sistema agroindustrial do café no estado de Minas Gerais. Tese de Doutorado, COPPE/UFRJ, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
Autores:
Cláudio Thomas Bornstein - Professor Titular da COPPE / UFRJ
José Luís Barboza Lobianco - Mestrando de Informática COPPE / UFRJ
Fonte: Adaptado de http://www.sbiagro.org.br