Importe cultivos microbiológicos do leite a partir de planilhas

Resultados de cultivos microbiológicos de leite, dados de mastite clínica e de tratamentos, lançados em planilhas, podem ser importados para o Sistema IDEAGRI diretamente da Tela 'Mastite / Importação de cultivos. O processo pode ser feito considerando o número ou o brinco eletrônico do animal. Nesta dica, saiba como preparar a planilha dos dados que permite a importação de informações e ganhe tempo nos lançamentos. 

 


Configuração e preenchimento da planilha: para a realização da importação, é necessário que o arquivo tenha uma disposição de colunas e formatação específicas. Veja o detalhamento dos itens a serem importados e obtenha uma planilha modelo. 

Importação: na Tela ‘Mastite / Importação de cultivo’, a planilha pode ser importada considerando o número ou brinco eletrônico dos animais.

Análise das inconsistências: durante o processo, o sistema gera um arquivo contemplando as linhas da planilha que não foram importadas em função de incompatibilidades existentes (ver o detalhamento dos itens). Tal arquivo salvo deve ser analisado pelo usuário que deverá ajustar as inconsistências e repetir o processo. 



CONFIGURAÇÃO / PREENCHIMENTO

Para que o arquivo seja importado, os dados devem ser organizados em planilha com colunas específicas, como ilustrado a seguir:

A tabela abaixo contempla o detalhamento dos dados a serem inseridos nas células das colunas da planilha. Para reailzar o preenchimento dos dados, basta inserir as informações na planilha e salvar o arquivo no formato CSV (separado por vírgulas).

COLUNADETALHAMENTO
Número / Brinco eletrônico

A importação dos dados pode ser realizada pelo número do animal OU pelo brinco eletrônico.

DICA: a opção desejada será conforme a seleção na Tela ‘Diagnóstico Reprodutivo’: CSV por número OU CSV por brinco eletrônico.

Data

Data do registro (seja do cultivo, da mastite ou do tratamento). Na planilha, as células devem estar configuradas para o Formato ‘DATA’.

DICA: exemplos: 01/01/2016 ou 01/01/16.

Ordenha

Ordenha na qual a coleta foi feita. VALORES POSSÍVEIS: 'Não lactante', '1', '2' e '3'.

DICA: procure digitar a informação conforme as opções (Não lactante, 1, 2 e 3). Se outro número for digitado (4, por exemplo), a importação não será feita e será exibida uma mensagem específica no arquivo de inconsistência.

AD

Resultados dos quartos. VALORES POSSÍVEIS: '0', '1', '2' e '3'. Cada valor digitado na planilha equivale a: 

0: sem grumos
1: grumos
2: glândula inchada
3: sistêmico - grumos, glândula inchada, febre 

DICAS: 

- Caso a matriz não apresente mastite clínica no momento da coleta de leite para o cultivo, as colunas correspondentes aos quartos (AD, AE, PD e PE) devem ser preenchidas com '0'.

- Se houver algum dado informado fora do padrão (0, 1, 2 e 3), a importação será feita, porém, o campo no gri da tela ficará em branco.

AE
PD
PE
Mic. 1

Microrganismos relacionados ao cultivo. VALORES POSSÍVEIS: para que seja possível a importação sobre os microrganismos, o usuário pode adotar a nomenclatura padrão do sistema (listagem abaixo) ou fazer a correlação da nomenclatura. Para mais detalhes, confira a dica: 

Correlacione microrganismos de cultivos do leite com os cadastros do sistema e garanta a padronização das análises

DICA: se houver algum dado informado de forma dferente dos microrganismos cadastrados (ou correlacionados) no sistema, a importação não será feita e será exibida uma mensagem específica no arquivo de inconsistência.

LISTA DE MICRORGANISMOS DO SISTEMA:

Bacillus, Células leveduriformes, Citrobacter freundii, Coliformes, Corynebacterium bovis, Crescimento Polimicrobiano, Enterobacter sp, Enterococcus sp, Escherichia coli, Fungo, Klebsiella sp, Levedura, Micrococcus ssp, Proteus sp, Proteus ssp, Protoheca ssp, Providência ssp, Pseudomonas, Serratia marcerans, Staphylococcus Aureus, Staphylococcus chromogenes, Staphylococcus coagulase negativa, Staphylococcus cohinii, Staphylococcus epidermidis, Staphylococcus haemoliticus, Staphylococcus hyicus, Staphylococcus saprophyticus, Staphylococcus warneri, Staphylococcus xylosus, Streptococcus agalactiae, Streptococcus bovis, Streptococcus dysgalactiae, Streptococcus sp, Streptococcus uberis.

Mic. 2
Tratamento

Tratamento de mastite adotado. VALORES POSSÍVEIS: são os tratamentos cadastrados pelo usuário na Rotina 'Tratamento mastite / CMT'. Para mais detalhes, confira a dica: 

Importe tratamentos de mastite a partir de planihas

Via

Via utilizada no tratamento. VALORES POSSÍVEIS: 'IMA', 'IMU', 'IV' e 'Todas', sendo que as siglas equivalem a: 

IMA: intramamário
IMU: intramuscular
IV: intravenoso

Para mais detalhes, confira a dica: 

Importe tratamentos de mastite a partir de planihas

Observações

Quaisquer observações relevantes.

DICA: O processo de importação para este campo ermite a inserção de apenas 200 caracteres.


IMPORTAÇÃO

Para importar dos dados, acesse o Menu SANIDADE, Botão MASTITE / IMPORTAÇÃO DE CULTIVO.

menu-sanidade.jpgseta.pngmastite-e-importacao-de-cultivo.jpg

A importação é realizada pelo Botão APLICAR, selecionado uma das modalidades de importação: CSV por número ou CSV por brinco eletrônico.

Veja um exemplo de importação por 'número'.

Após selecionar a modalidade de importação desejada, localize o local onde o arquivo csv foi salvo.

  • Selecione a pasta ou o local onde a planilha foi salva.
  • Selecione a planilha formatada (o arquivo deve estar fechado para realizar a importação).
  • Com o arquivo selecionado, clique em ABRIR

 

Os dados serão carregados na tela e poderão ser editados, se necessário. Para efetivar a importação, basta clicar em GRAVAR


ANÁLISE DAS INCONSISTÊNCIAS

Caso sejam detectadas incompatibilidades na planilha, o sistema gerará um relatório de inconsistências, para posterior conferência dos registros que não puderam ser importados. Neste caso, salve a planilha em um local de sua preferência, para análise posterior.

O processo de importação continuará normalmente, sendo possível a edição dos registros (se necessário) e a gravação dos registros.