Kátia Abreu transfere comando da CNA para João Martins

Com a proximidade das eleições de 2014, ocorrem várias transições nos comandos das principais entidades relacionadas ao agronegócio brasileiro. A alteração mais expressiva ocorreu na Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Kátia Abreu, que presidia a instituição desde 2008, deixou a função para se dedicar exclusivamente à disputa da reeleição no senado federal. Em seu lugar assume João Martins da Silva Júnior, Presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado da Bahia (FAEB).

Um jantar de confraternização com a presença do vice-presidente da República, Michel Temer, dos ministros da Agricultura Pecuária e Abastecimento, Neri Geller, e da Previdência Social, Garibaldi Alves, marcou a transferência de comando da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). A senadora Kátia Abreu passou a presidência da entidade a seu primeiro vice, João Martins da Silva Júnior, presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado da Bahia (FAEB).

"Saio tranquila para minha missão de recandidatura ao Senado pelo Tocantins, reafirmando a todos que nossa casa está em boas mãos: mãos de um homem digno, ético, que conhece bem nosso setor", afirmou a senadora, ao anunciar João Martins na presidência da CNA pelos próximos cinco meses, a partir desta quarta-feira, 4 de junho. O evento, em que também foi celebrada a posse recente de Almir Dalpasquale na presidência da Associação dos Produtores de Soja do Brasil (Aprosoja), contou com a presença de presidentes das Federações da Agricultura de todo o Brasil e de vários líderes da bancada da agropecuária no Congresso.

Convidado a dirigir algumas palavras aos presentes, João Martins abriu sua fala anunciando que quebraria o protocolo, transferindo a homenagem à senadora Katia Abreu. “Tudo aqui é fruto do seu trabalho. Foi você quem teve a capacidade de coordenar e nos convencer de que temos que marchar unidos, para realmente consolidar esta agropecuária pujante do País”, justificou.

Img


Em março, Antonio Andrade, então Ministro Agricultura, Pecuária e Abastecimento transferiu o cargo para Neri Geller. No dia 04 e junho, as trocas de lideranças se intensificaram, e várias instituições realizaram alterações nas diretorias.

Em Mato Grosso duas mudanças foram mais expressivas. Rui Prado deixou a presidência da Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), transmitindo o cargo para Normando Corral, que estava na vice-presidência. Prado, que estava no cargo desde 2007, ainda não revelou qual destino irá seguir.

Outra alteração ocorreu na Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado (Aprosoja/MT). Depois de dois mandatos o presidente Carlos Favaro se afastou do cargo alegando razões pessoais. Em seu lugar assume Ricardo Tomczyk, que estava na vice-presidência.

Tomczyk também foi recém-nomeado vice-presidente da Aprosoja Brasil, entidade que representa os sojicultores em escala nacional. Glauber Silveira, que presidia a entidade desde 2012, deixou o cargo no final de maio. Uma nova diretoria foi empossada, e Almir Dalpasquale assumiu a presidência.

Em Goiás, a troca ocorreu na Federação da Agricultura e Pecuária do estado (Faeg) e do Conselho Administrativo do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar). José Mário Schreiner presidia as duas entidades desde 2008, mas transferiu a função para seu vice, Leonardo Ribeiro. Schreiner também deixa vice-presidência de finanças da CNA. Ele afirma que avalia a possibilidade de candidatar-se a deputado federal.



Gazeta do Povo (AgroGP) e Assessoria de Comunicação CNA