Mas afinal, ouvir música no trabalho é bom ou ruim?

A música no ambiente de trabalho é motivo de discussão. Alguns gestores não se importam que sua equipe trabalhe ouvindo as canções que mais gostam. Mas outros não autorizam essa prática de maneira nenhuma. Mas afinal, ouvir música no trabalho é bom o ruim?

Na verdade, não existe uma resposta certa. É o que explica a consultora sênior de Recursos Humanos da Ricardo Xavier Recursos Humanos, Emília Dias.

– Tem gente que consegue trabalhar muito bem ouvindo música. Outros não conseguem e acabam se distraindo. É muito pessoal – diz.

A especialista observa que, em atividades que exigem muita concentração e que o trabalho seja feito em silêncio, a música pode atrapalhar.

Autorização do chefe

Indiferentemente de a pessoa conseguir ou não trabalhar ouvindo música, não cabe a ela decidir sobre o assunto. A música no trabalho só deve ser ouvida se o líder autorizar.

– Ele pode sentar com a equipe e decidir. É possível até mesmo fazer um teste por uma semana para saber se o trabalho combinado foi entregue no período esperado – sugere.

Emília diz que essa é uma forma de o gestor analisar quais profissionais conseguem trabalhar ouvindo música.

Nesse caso, cabe a ele (a) também estabelecer as regras, ou seja, se a música poderá ser ouvida somente com fones de ouvido ou se haverá uma caixa de som comum a todos. Dessa maneira, a cada dia uma pessoa pode escolher o tipo de música que irá tocar ou haverá uma estação de rádio fixa, geralmente aquelas que tocam músicas mais tranquilas.

– De qualquer maneira, o volume tem que estar bem baixinho, para não atrapalhar. No caso do fone, o ideal é utilizá-lo em apenas em um dos ouvidos – recomenda.

As orientações só não servem para quem trabalha diretamente com o público.

– Neste caso, a música ambiente não é legal porque é difícil agradar a todo mundo. Também não é possível trabalhar com fone de ouvido, já que é necessário estar de prontidão para atender os clientes – diz.

DJ na empresa

Quem trabalha quase todos os dias ouvindo música é o diretor de arte, Clayton Adjair.

– A minha relação com a música já vem de fora do trabalho, não tinha como não trazer para a empresa – diz ele.

Clayton conta que a música o ajuda no desenvolvimento das atividades, já que estimula sua criatividade. Na empresa onde trabalha, as músicas são ouvidas por meio de caixa de som e ninguém reclama.

– A música ajuda no trabalho de todos. No dia de fechamento do jornal, escutamos uma música mais agitada. A escolha varia de acordo com o ritmo de trabalho – conta.

Ele acrescenta que a música ajuda a criar um ambiente mais leve e até mesmo aumenta a interação da equipe.

– Às vezes, colocamos uma música mais engraçada para fazer piada. Todo mundo se diverte.