Pecuária brasileira sustentável: aumento na produção com redução na emissão de gases

Confira os principais pontos sobre o aumento da produção com redução na emissão de gases, tema discutido no painel sobre pecuária sustentável realizado no Global Agribusiness Forum - GAF (2016), realizado no início deste mês em São Paulo.

“O Brasil é o segundo maior produtor de carne bovina do mundo, com cerca de 9,5 milhões de toneladas/ano, e um maiores fornecedores de leite, com mais de 35 bilhões de litros/ano. Nosso desafio é contribuir ainda mais com a oferta global de alimentos de origem animal usando boa genética, cuidados sanitários e nutrição animal, pois está provado que sustentabilidade é uma característica marcante do nosso país”, assinalou Luiz Claudio Paranhos, presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ), coordenador do painel sobre pecuária sustentável no Global Agribusiness Forum (GAF 2016), em São Paulo.

CLIQUE AQUI para obter mais informações sobre o GAF 2016.

Participante do painel, Geraldo Martha Jr., da Embrapa Labex EUA, mostrou que exatos 62% do território brasileiro permanecem intocados. “Nosso país é o único do mundo com esse percentual de área inexplorada, que equivale ao território continental dos Estados Unidos”, disse. Outra informação importante trazida pelo especialista: o Brasil detém 15% dos reservatórios mundiais de água e usa apenas 12% do volume de água consumida pelos Estados Unidos e a China. “Como se pode dizer que não temos um agronegócio sustentável?”, questionou.

Geraldo Martha Jr. destacou outra característica da pecuária brasileira que demonstra o respeito ao meio ambiente. Segundo ele, nas últimas quatro décadas nada menos do que 525 mil hectares foram poupados, devido ao aumento da produtividade. “Isso equivale a uma Europa”, disse. “Outro dado muito importante: em 40 anos a pecuária reduziu pela metade a emissão de metano. Quanto mais aumenta a produtividade, mais cai a agressão ao meio ambiente”, completou.