Pecuária Leiteira de Precisão: Desafios e Oportunidades

Nos últimos anos, a pecuária leiteira nacional vem lidando com novos desafios, além do histórico aumento dos custos de produção, como: crescente percepção dos consumidores quanto à segurança alimentar, bem-estar animal e impactos ambientais da agropecuária. Neste cenário de desafios e margens de lucro reduzidas, só existe um caminho a ser seguido: o aumento da eficiência dos sistemas de produção de leite.

No processo de busca pelo aumento da eficiência produtiva e ambiental, a aplicação do conceito de Zootecnia de Precisão vem se tornado cada vez mais frequente, e pode ser definido como: uso de tecnologias para mensurar indicadores produtivos, fisiológicos e comportamentais dos animais, de forma individualizada. Algumas tecnologias de precisão já vêm sendo utilizadas em fazendas leiteiras, como o registro diário da produção de leite e do peso vivo, o uso detectores de estro e monitores da condutividade do leite. Outras tecnologias de precisão também têm sido propostas para mensurar consumo de alimentos e água, comportamento alimentar, batimento cardíaco, frequência respiratória, temperatura da superfície corporal, pH ruminal, atividade e posição dos animais, entre outras.

A observação dos animais pelos funcionários da fazenda como única estratégia para definir o manejo do rebanho vem se tornando cada vez mais inviável, diante da intensificação dos sistemas de produção e dos problemas com escassez de mão de obra. Com isso, vem se acentuando a demanda por tecnologias de precisão para o monitoramento automático de parâmetros individuais dos animais. Entretanto, para que tais tecnologias possam auxiliar a rápida tomada de decisões pelos produtores, os dados registrados precisam ser interpretados e utilizados para a otimização da eficiência produtiva, para a detecção precoce de doenças, bem como para a avaliação do bem-estar dos animais.

Pesquisas em Zootecnia de Precisão já estão sendo conduzidas na Embrapa Gado de Leite, em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais e a empresa nacional Intergado, para avaliação da eficiência alimentar em vacas em lactação, bem como para o estudo da associação da eficiência alimentar com fertilidade e saúde animal. Inicialmente, vacas da raça Holandêsa em lactação estão sendo diariamente monitoradas quanto ao consumo de alimentos, água e peso vivo. Estas mensurações estão sendo realizadas por um sistema automático, composto por doze cochos eletrônicos e dois bebedouros eletrônicos, com estações de pesagem corporal dos animais. Além de fornecer informações de consumo de alimento e água, o sistema permite monitorar: a frequência de visitas ao cocho e ao bebedouro, bem como a duração destas visitas; os horários preferencias de alimentação; a taxa de ocupação dos cochos; os horários dos tratos; monitoramento das sobras e pesagem corporal automática cada vez que o animal acessa o bebedouro.

O campo de estudo nesta área é muito abrangente e promissor. As pesquisas podem focar em resultados a longo prazo, visando à seleção de animais mais eficientes e à geração de marcadores moleculares e valor genético para parâmetros de eficiência alimentar, como consumo alimentar residual. Outro foco de pesquisa, com resultado a curto e médio prazo, é o estabelecimento de estratégias de manejo, a partir do melhor entendimento do comportamento dos animais, que possam aumentar a eficiência produtiva, bem como gerar índices de bem-estar e saúde.


Fonte: http://repileite.ning.com/