Piá investe em cursos focados na agricultura familiar

Os cursos, fruto da parceria entre a Cooperativa Piá e o Rehagro, tem duração de um ano e envolvem dois dias em salas de aulas a cada mês, com temas específicos. No intervalo, o aluno recebe uma visita na propriedade, onde se coloca em prática tudo aquilo que aprendeu no último módulo. A ferramenta de gestão utilizada no acompanhamento das fazendas é o IDEAGRI.

Imagem

Os cursos tiveram início em abril nas cidades gaúchas de Nova Petrópolis, Marau e Vila Flores, e tem como público alvo jovens entre 16 e 32 anos. São 130 pequenos produtores atendidos. O objetivo é aumentar a produtividade da propriedade e oferecer perspectivas para que os jovens continuem no campo, projetando a sucessão familiar.


Segundo o veterinário Carlos Schüenemann, da Cooperativa Piá, o crescimento da produtividade se dá não só pelo aumento da média das vacas, mas também pelo número de animais. “O produtor começa a se tornar mais eficiente, cuidando melhor na hora de plantar milho e na hora da silagem”, ressalta Schüenemann. Segundo o veterinário, o curso permite uma melhor avaliação do plantel e ganhos nutricionais e reprodutivos. “Vira um ciclo: a vaca é melhor alimentada, a reprodução melhora, ela vai ter mais partos e assim dará mais leite durante a vida”, resume Schüenemann. Ele destaca que, hoje, na região de atuação da Piá, a média é de 3,5 partos durante a existência de uma vaca.

Os ganhos começam a partir do segundo ano de aplicação das técnicas dos cursos do Rehagro, mas no primeiro curso – realizado em 2013, houve um crescimento de 55% na captação de leite nas 38 propriedades que participaram do módulo. Neste primeiro módulo houve uma média de 11,5 mil litros de leite por hectare/ano, bem acima da média brasileira, que é de 1,8 mil. Mesmo assim, o veterinário Matheus Balduíno Moreira, do Rehagro, acredita que se poderá chegar a uma média de 25 mil litros por ano.

O aumento de produtividade permite que o agricultor aumente a sua renda, garantindo a fixação na propriedade e na sucessão familiar, destaca Carlos Schüenemann. “Além disso, há ganhos ambientais, pois o produtor não precisa desmatar para aumentar a área, já que ele tem um ganho vertical de produtividade”, destaca o veterinário da Piá. Para a cooperativa também é vantajoso, pois o leiteiro consegue captar mais leite com o mesmo gasto de combustível.

Adriana Drechsler, que integrou a primeira turma do curso Gestão da Pecuária Leiteira, já colhe bons resultados em sua propriedade, juntamente com o companheiro Jorge Fernando Schwaab. Tendo começado com duas vacas e três novilhas, em cinco anos, o casal já conta com 21 vacas, sendo 18 em lactação. Adriana lembra que no início do curso (em 2013), começou a fazer as primeiras anotações sobre a produção. “Em dois dias de mudança da dieta, com o gado em estágio de lactação e nas condições ideais de criação, o resultado já foi surpreendente”, conta Adriana. Em agosto de 2013, a propriedade produzia 9 mil litros de leite por mês. Um ano depois, estão produzindo 11 mil litros/mês.

Com a realização dos cursos com a Rehagro, a Cooperativa Piá busca incentivar especialmente os pequenos produtores. Hoje, 38% dos associados produzem até 100 litros de leite por dia, com média de 41 litros. Numa segunda faixa, 39% dos associados, produzem diariamente entre 101 e 300 litros, com uma média de 152 litros de leite por dia.