Planejamento Estratégico na Pecuária: como o BSC pode ajudar?

É cada vez maior o número de empresas que, diante da complexidade no cenário empresarial e de tantas incertezas, estão buscando métodos e técnicas que as auxiliem no processo gerencial. O planejamento estratégico é uma dessas ferramentas. Na pecuária leiteira, esta realidade não é diferente, pois é através do planejamento que o empresário rural pode olhar para o futuro e buscar definir se a sua propriedade se manterá no mercado e, o mais importante, projetar seu grau de competitividade. Todavia, o desafio para o produtor é justamente como estruturar e executar seu planejamento estratégico. Por onde começar e quais caminhos percorrer? O que considerar? Como acompanhar os resultados?

PRINCIPAIS ETAPAS

Pode-se iniciar o trabalho por meio da compreensão da estratégia a ser seguida e do escopo do plano a ser traçado.

Isto é, o planejamento tem início na visão de futuro (que é a estratégia), seguida da definição ou validação da identidade organizacional (valores, missão, postura estratégica) e do diagnóstico ambiental (forças, fraquezas, ameaças e oportunidades) para a seleção de macro-objetivos (diretrizes) que irão se desdobrar em objetivos táticos a serem cumpridos por planos de ação (executados por membros de diferentes funções e níveis hierárquicos).

Imagem

Pode-se iniciar o trabalho por meio da compreensão da estratégia a ser seguida e do escopo do plano a ser traçado. Isto é, o planejamento tem início na visão de futuro (que é a estratégia), seguida da definição ou validação da identidade organizacional (valores, missão, postura estratégica) e do diagnóstico ambiental (forças, fraquezas, ameaças e oportunidades) para a seleção de macro-objetivos (diretrizes) que irão se desdobrar em objetivos táticos a serem cumpridos por planos de ação (executados por membros de diferentes funções e níveis hierárquicos).

DEFININDO METAS

Para evitar a criação de um planejamento engessado com indicadores que só ‘contam’ o que já se passou, o produtor deve adotar uma metodologia para a definição de objetivos que equilibre as várias forças que impulsionam seu negócio, considerando também indicadores que ‘contem’ o que pode acontecer. Com este objetivo, o Balanced Scorecard (BSC) pode ser adotado como uma ferramenta de vital importância.

Mas o que é o BSC? É uma metodologia que busca alinhar ações individuais com os objetivos do negócio e da organização, orientando o desempenho e a responsabilidade por toda a equipe, através da definição de indicadores de desempenho, considerando 4 perspectivas chave: FINANCEIRA, CLIENTES, PROCESSOS INTERNOS e APRENDIZADO/CRESCIMENTO. A lógica da metodologia está baseada no conceito CAUSA X EFEITO, isto é, para se obter os resultados financeiros almejados (no topo das prioridades), há que se considerar outros aspectos como a capacitação da equipe, a padronização dos processos produtivos, o acompanhamento das tendências de mercado, etc. Tudo está interligado. Complementando este fluxo, a comunicação rápida e clara dos resultados é uma peça fundamental.

BSC NA PRÁTICA

A proposta dos autores da metodologia é que a definição dos objetivos, metas e indicadores seja feita através do desenho de um Mapa Estratégico. Veja um exemplo da estruturação de um mapa aplicado numa pequena propriedade leiteira, incluindo sua representação gráfica:

• Com base na sua estratégia, o empresário deve analisar o ambiente (interno e externo) para definir a sua visão de futuro que propiciará a seleção de objetivos estratégicos.

• Com base no BSC, neste exemplo, foram definidos 4 objetivos, sendo 1 para cada perspectiva: Capacitar a equipe; Padronizar a execução de rotinas; Produzir leite com qualidade; Aumentar produção de leite.

• Numa rápida análise sob a ótica CAUSA X EFEITO, temos: com funcionários qualificados, os processos produtivos serão executados de acordo com as normas de qualidade, com a redução de desperdícios e custos, otimizando e ampliando a produção e, como consequência, aumentando os lucros.

• São definidos então os indicadores que deverão ser acompanhados em relação a valores ideais traçados. Não devem ser definidos muitos indicadores (pois o custo de acompanhá-los poderia ser maior do que o benefício almejado). As metas devem ser desafiadoras sem serem impossíveis de serem alcançadas.

Imagem

• Metas devem conter: O QUE SERÁ MEDIDO / O OBJETIVO QUANTITATIVO / O PRAZO. Veja alguns exemplos deste Mapa Estratégico:

INDICADORMETAOBSERVAÇÕES
Treinamentos nas áreas Realizar 2 treinamentos na área por trimestre até 31/12Esta meta pode ser almejada pelas diversas áreas da propriedade conforme demanda e priorização de cada área.
Unidades formadoras de colônia Reduzir média mensal de UFC para 260.000 até 31/12Para o cumprimento desta meta tática, podem ser criadas metas operacionais relacionadas à higienização e manuseio do equipamento, por exemplo.
Variação no preço de venda Manter a variação do preço de venda do leite de um mês para o outro entre 0,4 e 0,6% até 31/12Metas da perspectiva dos CLIENTES devem ser estabelecidas com o foco do cliente, o que eles demandam.
Produção mensal entregue Alcançar a produção mensal de 52.000 litros até 31/12Como este é um indicador de resultado, para garantir o cumprimento do objetivo, podem ser buscados também indicadores de tendência (vacas em lactação, por exemplo).

DESAFIO: GERENCIAMENTO

Outro aspecto que deve ser avaliado refere-se ao acompanhamento das ações e resultados. Por isso, deve-se buscar ferramentas tecnológicas que auxiliem a gestão da execução do plano. Sistemas de gestão podem e devem ser aplicados no sentido de apoiar a mensuração e divulgação do desempenho. Veja algumas características que devem ser consideradas no software a ser adotado:
• Facilidade e rapidez de acesso por todos os envolvidos.
• Praticidade na inserção dos parâmetros do planejamento (metas, indicadores).
• Ambiente de navegação que permita agilidade no lançamento de resultados.
• Relatórios objetivos e de qualidade.
• Segurança e consistência do banco de dados.
• Tecnologia de ponta.

Imagem


PENSAMENTO ESTRATÉGICO APOIADO PELA TECNOLOGIA

Toda empresa precisa ser dinâmica em seu campo de atuação e isso exige flexibilidade e pensamento estratégico contínuo. Para viabilizar esta constante busca pela vantagem competitiva, o produtor deve acompanhar, em tempo real, seus resultados para agilizar a tomada acertada de decisão e, para isso, deve se apoiar em uma metodologia prática, tal como o BSC, além de contar com um bom sistema de controle informatizado, ferramenta indispensável para o acompanhamento preciso e tempestivo das informações e índices da propriedade.

Leonora

Leonora Duarte, Administradora e Especialista em Gestão Estratégica de Processos de Negócio. Gerente Comercial IDEAGRI – Soluções Informatizadas para o Agronegócio. Mais informações, no site: www.ideagri.com.br ou pelo telefone: (31) 3344-3213.