Gerenciando a reprodução: foco na taxa de prenhez

Uma boa eficiência reprodutiva é primordial como componente de lucratividade nos sistemas de produção de leite. No início da lactação, as vacas produzem mais leite e com melhor conversão alimentar, reduzindo, portanto, o custo alimentar. Mas, afinal, como gerenciar a eficiência reprodutiva do rebanho?

Um indicador ainda muito usado para monitorar a eficiência reprodutiva é o intervalo entre partos. Como o próprio nome diz, ele mede o intervalo entre 2 partos consecutivos de uma mesma vaca, sendo que o ideal é ter este indicador o mais próximo de 12 meses, ou seja, um parto por ano. Entretanto, este é um indicador com várias falhas e, portanto não deve ser usado como ferramenta gerencial para monitoramento da eficiência reprodutiva. A principal falha é a demora na obtenção do número. Para que ele possa ser calculado, a vaca precisa ter parido novamente. Quando um problema é identificado através deste índice, significa que o problema aconteceu há no mínimo 9 a 12 meses, ou seja, as ações para correção do problema deveriam ter sido tomadas há muito tempo atrás. Além disto, ele não inclui as primíparas (vacas de primeira cria), pois elas ainda não pariram pela segunda vez e nem as vacas que não emprenham ou que foram descartadas.

A taxa de prenhez é um indicador mais eficiente como ferramenta gerencial de monitoramento da eficiência reprodutiva. Ele é obtido em um curto espaço de tempo e inclui todo o rebanho. A partir de desvios encontrados na análise deste indicador, ações corretivas podem ser implantadas rapidamente para evitar o pior: a falta de partos! Se esperarmos que a maternidade ficar vazia para só, então, tomar alguma atitude, provavelmente será muito tarde!

A taxa de prenhez é o percentual de vacas que ficam prenhes em relação ao número de vacas aptas, medido a cada período de 21 dias. Vacas aptas são aquelas que ainda não estão prenhes, mas que já passaram pelo período de espera voluntário (PEV), que é o tempo para a “recuperação” do sistema reprodutivo após o parto, geralmente entre 35 a 60 dias.

Para alcançar uma boa taxa de prenhez é preciso que se tenha, por exemplo, 24% de vacas aptas ficando prenhes em um período de 21 dias. Para isso é preciso que haja um bom número de fêmeas em cio, que elas sejam inseminadas e que a maioria fique prenhe. Assim, dois outros índices compõem a taxa de prenhez: a taxa de serviço ou taxa de inseminação, que mede a porcentagem de vacas que são inseminadas em relação ao número de vacas aptas em um período de 21 dias, e a taxa de concepção, que é a porcentagem de vacas que ficam prenhes em relação ao total de vacas inseminadas. Então, Taxa de prenhez = Taxa de serviço x Taxa de concepção.

A taxa de serviço é influenciada, basicamente, pela observação de cio e pelo percentual de vacas em anestro, ou seja, aquelas que não estão dando cio. Já a taxa de concepção é influenciada pela fertilidade da vaca, qualidade do sêmen, processo de inseminação, dentre outros fatores.

Um erro muito comum é confundir a taxa de prenhez com o percentual de vacas que deram positivas no toque. É muito comum ouvir que “a taxa de prenhez lá em casa é mais de 70%” e na verdade não se trata da taxa de prenhez. Outras vezes, a taxa de prenhez é confundida com a taxa de concepção, que é muito importante, porém não diz tudo, pois uma boa taxa de concepção com uma taxa de serviço baixa resulta em baixa taxa prenhez. Veja o exemplo:

Tela


Comparando somente a taxa de concepção, a fazenda 2 tem melhor desempenho reprodutivo. Mas, na verdade, como a fazenda 2 tem uma taxa de serviço muito baixa, a fazenda 1 consegue emprenhar suas vacas quase 5 vezes mais rápido do que a fazenda 2, mesmo tendo uma taxa de concepção mais baixa. A taxa de prenhez mede exatamente a velocidade com que as vacas estão ficando prenhes.

Ao gerenciar a eficiência reprodutiva dos rebanhos através da taxa de prenhez, haverá plenas condições de identificar rapidamente falhas no processo, atuando de maneira precisa e eficiente.

O sistema IDEAGRI Desktop disponibiliza um relatório específico para avaliar a 'Taxa de prenhez'. Veja um exemplo da análise do índice no sistema (a análise foi feita considerando as vacas, no período de 01/01/2018 a 31/12/2018):

 

 

imj

img

Clique no link abaixo para visualizar o relatório na íntegra, em pdf:

Relatorio_em_PDF

 

 


 

Quer conhecer o software IDEAGRI Desktop? Clique e peça gratuitamente sua cópia de demonstração !

 

Imagem